título: ação de combate ao vírus a h1n1 na fronteira de

Propaganda
TÍTULO: AÇÃO DE COMBATE AO VÍRUS A H1N1 NA FRONTEIRA DE
TABATINGA
EIXO III: Integração entre as Vigilâncias e com a Atenção Primária em Saúde
INSTITUIÇÃO: Coordenação de Portos, Aeroportos, Fronteiras
Alfandegados do Amazonas – Posto de Fronteira de Tabatinga
e
Recintos
AUTOR: SÉRGIO SABINO RODRIGUES
MUNICIPIO: TABATINGA/AM
PERÍODO DE REALIZAÇÃO: JULHO A SETEMBRO DE 2009
RESUMO
INTRODUÇÃO
O ano de 2009 foi ano atípico para o mundo, pois ocorreu uma das maiores epidemias
de influenza, a disseminação do novo vírus A H1N1, as vigilâncias sanitárias do país se
mobilizaram para o controle e combate ao vírus. A vigilância de portos, aeroportos e
fronteiras trabalhou para evitar que pessoas transitassem e disseminasse a doença, esse
trabalho foi realizado na Fronteira de Tabatinga, uma ferramenta importante na defesa
deste importante ponto de entrada.
JUSTIFICATIVA
A atividade foi realizada para combater a disseminação do vírus pela passagem de
fronteira que envolve o Brasil, Colômbia e Peru, numa área extensa, cujo fluxo de
viajantes é intenso e as condições precárias do local. A ação justifica-se não só por criar
uma barreira de combate nesta área, como também atender as determinações do Plano
Nacional de Combate ao vírus A H1N1.
OBJETIVOS:
Objetivo Geral
Mobilizar e orientar a população da Tríplice Fronteira Brasil, Colômbia e Peru, sobre a
forma de prevenção e combate ao vírus da Influenza A H1N1.
Objetivos Específicos




Mobilizar as entidades e organizações para a prevenção ao vírus;
Capacitar voluntários;
Realização de campanhas e carreata;
Realizar monitoramento de meios de transportes.
METODOLOGIA
1. Reunir representantes de entidades e organizações dos países fronteiriços, para
falar sobre a transmissão e prevenção do vírus da influenza A H1N1;
2. Capacitar voluntários: para detecção de casos suspeitos, fluxo de informação,
transporte e tratamento de doentes, abordagem e orientação às pessoas.
3. Realizar campanha de educação e promoção em saúde, (Porto, Aeroporto e
Fronteira Terrestre);
4. Realizar monitoramento de meios de transporte, através de inspeção física,
orientando tripulantes, sobre fluxos de informação e manejo de casos suspeitos,
conforme os Protocolos aprovados pelo Ministério da Saúde e ANVISA.
RESULTADOS
1. Reunião com 200 profissionais de entidades representativas das áreas da saúde,
transporte e educação.
2. Reunião com 30 pessoas (agentes e representantes) de entidades vinculadas aos
pontos de entrada (Porto e Aeroporto).
3. Capacitados 15 voluntários para atuar com educação e promoção nos pontos de
entrada.
4. Durante 30 dias foi realizada uma campanha de orientação .
5. Distribuídos 20 mil folderes;
6. Distribuídos 150 cartazes sobre a Influenza A H1N1.
7. Dispostos 05 banneres orientativos.
8. Realizada uma carreata com aproximadamente 40 veículos (carros e motos).
9. Inspecionadas 35 embarcações de grande porte durante o período;
10. Inspecionados 82 aeronaves durante o período;
APRENDIZADO COM A VIVÊNCIA
Foi interessante a ação tendo em vista a interlocução com outras: Exército, SMS e
Instituições presentes na Fronteira. Foi gratificante a contribuição prestada a sociedade.
.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
O trabalho de combate representou uma grande contribuição social. A ação
desenvolvida pela CVPAF/AM fortaleceu a presença da ANVISA na Fronteira e
aumentou a relação com outras instituições.
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Criar flashcards