Apostila biologia cefet-coltec 4

Propaganda
Capítulo X – Reino Metazoa (animais)
O reino metazoa inclui indivíduos eucariontes, pluricelulares, com organização corporal e
nutrição heterotrófica. Neste capítulo iremos estudar os principais filos desse reino:









Filo Porifera;
Filo Coelenterata;
Filo Platyelmintes;
Filo Nematoda;
Filo Anellida;
Filo Mollusca;
Filo Artrhopoda;
Filo Echinodermata;
Filo Chordata.
Filo Porifera
Os poríferos (esponjas) apresentam esse nome pelo fato de possuírem o corpo coberto
de poros.
Características




Parazoários (não apresentam tecidos verdadeiros);
Sésseis;
Assimétricos;
Geralmente marinhos.
Estrutura básica
Porócitos: células que formam os poros. Permitem a entrada de água e gases
respiratórios.
Coanócitos: célula exclusiva dos poríferos. Caracteriza-se por apresentar um colarinho
e um flagelo. Envolvido com a digestão intracelular e reprodução. Além disso, promove o fluxo
de água no interior das esponjas por meio do batimento dos flagelos de milhares de
coanócitos.
Pinacócitos (célula da epiderme): células achatadas que revestem externamente o
corpo do animal formando a epiderme.
Amebócitos: células indiferenciadas com alto poder de regeneração. Tem a capacidade
de originar qualquer outro tipo de célula dos poríferos. Envolvida com a formação de gametas e
distribuição de nutrientes. Locomovem-se por pseudópodes.
Espículas: podem ser de natureza calcárea ou silicosa. Envolvidas com a sustentação
corporal.
Espongina: são fibras de proteínas não representadas no desenho que apresentam
juntamente com as espículas a função de sustentação corporal.
Trajeto da água no interior dos poríferos
Os poríferos são filtradores e apresentam um constante fluxo de água em seu interior. A
água, trazendo gases e nutrientes dissolvidos, penetra por seus poros, circula pelo átrio ou
espongiocele e sai pelo ósculo (abertura na porção superior).
Obs.: As esponjas apresentam três camadas: uma externa chamada epiderme, uma
intermediária chamada mesogléia (tem aspecto gelatinoso onde se encontra mergulhado os
amebócitos, a espongina e as espículas) e uma camada interna formada pelos coanócitos.
Morfologia das esponjas
Existem três tipos básicos de esponjas, classificadas de acordo com o contato dos
porócitos e coanócitos com o átrio.
- Asconóide: também conhecido como áscon é o tipo mais simples.
- Siconóide: também chamado de sícon, apresenta dobras na parede interna do átrio.
- Leuconóide: ou simplesmente leucon, apresenta dobras na parede interna que formam
câmaras flageladas. É o tipo mais complexo.
Reprodução
- Assexuada:
- Brotamento: formação de saliências externas ao corpo. Podem se destacar ou
não (quando não se destacam podem formar colônias).
- Gemulação: forma resistente constituída por um conjunto de células
indiferenciadas envolvidas por uma capa externa de espículas. Têm grande capacidade de
suportar ambientes hostis. Muito comum em esponjas de água doce.
- Sexuada:
As esponjas podem ser hermafroditas (maioria) ou dióicas, e apresentam fecundação
cruzada. Os espermatozóides saem pelo ósculo e são levados juntamente com a água até
outra esponja pela água circulante. Após ocorrer a fecundação no interior da esponja, uma
larva ciliada chamada anfiblástula é formada. Essa larva livre natante se fixa em um local
apropriado desenvolvendo-se em uma esponja adulta.
Filo Coelenterata/Subfilo Cnidaria
São os primeiros animais a apresentarem uma cavidade digestiva, embora, incompleta.
Os exemplos clássicos desse filo são: água-viva e corais.
Características

Eumetazoários (apresentam organização tecidual);

Possuem simetria radial;

Diblásticos;

Sistema nervoso difuso;

São protostômios (blastóporo originou a boca);

Apresentam cavidade digestiva incompleta (enterozoários incompletos);

Exclusivamente aquáticos;

Geralmente marinhos;

Podem ser fixos ou livre natantes.
Formas
Podem se apresentar sob duas formas:
- pólipos: geralmente fixos e cilíndricos. Exemplos de celenterados que só
aparecem na forma de pólipo: hidras, anêmonas, e corais. Obs.: Esses animais podem
apresentar reprodução assexuada ou sexuada.
- medusas: livre natantes, assemelham-se a um guarda-chuva de cabeça para
baixo. Exemplo água-viva. Reproduzem-se apenas sexuadamente.
Pólipo
Medusa
Cnidoblasto (cnido=urtiga)
É uma célula exclusiva dos cnidários (daí o nome do subfilo). Liberam uma substância
urticante utilizada para a defesa ou captura de alimento. Geralmente encontram-se nos
tentáculos. O flagelo encontra-se enrolado em uma câmara denominada de nematocisto.
Quando sensibilizado o cnidocílio ou estimulado via sistema nervoso, ocorre a abertura do
opérculo e liberação do filamento com substância urticante.
Estrutura corporal
A parede corporal dos cnidários apresentam 3 camadas:
- epiderme (externa): constituída de cnidoblasto, células musculares, células
intersticiais indiferenciadas e células sensoriais;
- mesogléia: porção intermediária onde se encontra o sistema nervoso difuso;
- gastroderme: formada por células que secretam enzimas digestivas que
digerem parcialmente o alimento, sendo completada a digestão no interior das células
(digestão extra- e intra-celular);
Reprodução
Em alguns pólipos como a Hydra ocorre tanto reprodução assexuada como sexuada.
- Reprodução assexuada: ocorre por brotamento.
- Reprodução sexuada: as hidras podem ser monóicas ou dióicas. Ocorre
fecundação cruzada com liberação de espermatozóide na água que se locomove até outro
indivíduo. Após a fecundação ocorre a formação de uma larva ciliada chamada plânula que
fixa-se em um local apropriado formando um novo pólipo adulto.
Metagênese ou Alternância de geração
Em alguns celenterados como a Obelia sp. e Aurelia sp. ocorre a alternância de
gerações, isto é, um geração de pólipo e outra de medusa.
Filo Platyelmintes
Os platelmintos são conhecidos como vermes achatados dorso-ventralmente. Os
exemplos clássicos desse filo são a planária, o Schistosoma sp. e Taenia sp.
Características
 Animais eumetazoa;
 Triblásticos
 Acelomados (não apresentam cavidade corporal entre a mesoderme e
endoderme);
 Simetria bilateral;
 Protostômios;
 Enterozoários incompletos;
 Sistema nervoso ganglionar.
Classes
Turbelária: planárias.
Trematoda: Schistosoma mansoni
Cestoda: Taenia solium e Taenia saginata
Classe Turbelária (planárias)






Apresentam vida livre;
Achatados dorso-ventralmente;
Vivem em ambientes aquáticos;
Locomovem-se por cílios ventrais;
Monóica (ambos os sexos em um único indivíduo), porém, com fecundação
cruzada (troca de gametas entre dois indivíduos);
Alta capacidade de regeneração, principalmente na região cefálica.
Faringe estendida
Ocelos
Classe Trematoda (Schistosoma mansoni)
Características


Dióicos (sexos separados);
Apresentam dimorfismo sexual (macho menor e mais achatado que a fêmea,
ventralmente o macho apresenta o canal ginecóforo que abriga à fêmea);
Esquistossomose ou barriga d`água


Ciclo
Agente etiológico: Schistosoma mansoni
Ciclo heteroxeno:
- Hospedeiro definitivo: homem
- Hospedeiro intermediário: caramujo do gênero Biomphalaria.
Caramujo do gênero Biomphalaria
1. Os vermes adultos vivem no interior das veias do interior do fígado. Durante o
acasalamento, encaminham-se para as veias da parede intestinal executando,
portanto, o caminho inverso ao do fluxo sanguíneo.
2. Lá chegando, separam-se e a fêmea inicia a postura de ovos (mais de 1.000 por dia)
em veias de pequeno calibre que ficam próximas a parede do intestino grosso. Os ovos
ficam enfileirados e cada um possui um pequeno espinho lateral. Cada um deles
produz enzimas que perfuram a parede intestinal e um a um vão sendo liberados na luz
do intestino.
3. Misturados com as fezes, alcançam o meio externo. Caindo em meio apropriado, como
lagoas, açudes e represas de água parada, cada ovo se rompe e libera uma larva
ciliada, o miracídio, que permanece vivo por apenas algumas horas.
4. Para continuar o seu ciclo vital, cada miracídio precisa penetrar em um caramujo do
gênero Biomphalaria. Dentro do caramujo, perde os cílios e passa por um ciclo de
reprodução assexuada que gera, depois de 30 dias, numerosas larvas de cauda
bifurcada, as cercárias.
5. Cada cercária permanece viva de 1 a 3 dias. Nesse período, precisa penetrar através
da pele de alguém, por meio de movimentos ativos e utilizando enzimas digestivas que
abrem caminho entre as células da pele humana. No local de ingresso, é comum haver
coceira (dermatite cercariana). Atingindo o sangue, são encaminhadas ao seu local de
vida.
Sintomas





Mal estar e prostação;
Falta de apetite;
Dor na região abdominal;
Emagrecimento;
Fase crônica:
- Aumento do tamanho do fígado e baço;
- Ascite “barriga d`água”
Profilaxia





Tratamento dos doentes;
Saneamento básico;
Evitar nadar em locais desconhecidos;
Alertas em locais desconhecidos;
Combate ao caramujo (larvicidas ou predador natural como o Pomacea).
Classe Cestoda (Taenia solium e Taenia saginata)
Características



Monóico suficiente daí o nome solitária (promove autofecundação);
Corpo achatado dorso-ventralmente;
Divisão corporal:
- cabeça ou escólex (encontram-se as ventosas de fixação);
- estróbilo (constituído de anéis ou proglotes, onde se encontram o aparelho
reprodutor masculino e feminino);
Escólex
Estróbilo
Teníase


Agente etiológico: Taenia solium ou Taenia saginata;
Ciclo heteróxeno:
- hospedeiro definitivo: homem.
- hospedeiro intermediário: porco ou boi.
Ciclo
O indivíduo infectado quando defeca elimina ovos e proglotes maduras (repleta de ovos)
junto com as fezes. No meio ambiente esses ovos ou proglote podem ser ingeridos pelo boi e
pelo porco. O suco gástrico (ácido) do animal destrói o envoltório do ovo, facilitando a liberação
do embrião (chamado de hexacanto ou oncosfera) no intestino. O embrião perfura o intestino e
cai na corrente sanguínea, migrando para os diversos tecidos onde se transforma em cisticerco
(Taenia solium: coração, cérebro, músculos, diafragma e língua; Taenia saginata: músculos).
O homem ao ingerir carne crua ou mal passada que contenha cisticerco pode se
contaminar. No organismo humano a larva fixa-se na mucosa intestinal e se transforma em
verme adulto.
Sintomas



Dor abdominal, diarréia e vômitos;
Emagrecimento e prostação;
Irritabilidade.
Profilaxia




Saneamento básico;
Evitar ingerir carne crua ou mal passada;
Tratamento dos indivíduos doentes;
Inspeção das carnes nos frigoríficos.
Cisticercose
 Agente Etiológico: Taenia solium;
 Ciclo monoxeno (um único hospedeiro: homem);
A cisticercose diferentemente da teníase ocorre quando o homem ingere água ou
alimentos contaminados com ovos do parasito. Ao ingerir o ovo ocorre liberação do embrião
que perfura o intestino e cai na corrente sanguínea. O embrião pode se alojar no cérebro
(neurocisticercose), olhos e músculos formando os cisticercos. Isso pode resultar em morte,
cegueira e outros sérios riscos a saúde do indivíduo.
Filo Nematoda
Características










Triblásticos;
Pseudocelomados (cavidade corporal parcialmente revestida pela mesoderme);
Simetria bilateral;
Protostômios;
Corpo cilíndrico (revestido por uma cutícula espessa);
Respiração cutânea;
Ausência de sistema circulatório;
Sistema nervoso ganglionar;
Enterozoários completos;
Sistema excretor formado por túbulos em H.
Alguns Representantes


Ascaris lumbricóides (ascaridíase)
Necator americanus (ancilostomose ou amarelão)


Ancylostoma duodenale (ancilostomose ou amarelão)
Wuchereria bancrofti (elefantíase)
Ascaridíase


Agente etiológico: Ascaris lumbricóides
Ciclo monoxeno
Ciclo
A contaminação ocorre quando o homem promove a ingestão de água e alimentos
contaminados com ovos do parasita. Após passar pelo estômago ocorre a liberação da larva no
intestino. Após perfurar a mucosa intestinal a larva atinge a corrente sanguínea, passa pelo
fígado, coração e pulmões (perfurando os bronquíolos, o que pode acarretar em tosse
sanguinolenta e febre). Passando pelos bronquíolos, a larva atinge a faringe onde é deglutida,
passando novamente pelo estômago e, finalmente, chegando ao intestino onde se transformam
em vermes adultos.
Sintomas


Fase pulmonar:
- Tosse, pigarro, catarro sanguinolento e bronquite.
Fase intestinal:
- Náuseas, vômitos, cólicas intestinais, diarréias, manchas brancas na pele.
Profilaxia



Saneamento básico;
Beber apenas água tratada;
Lavar bem os alimentos.
Ancilostomose ou amarelão
Agente etiológico: Necator americanus e Ancylostoma duodenale, ambos pertencentes a
família Ancylostomidae.
Ancylostoma duodenale
Necator americanus
Ciclo
O ciclo é monoxeno sendo o homem o hospedeiro definitivo. Os ovos do parasito são
liberados juntamente com as fezes do indivíduo infectado. No solo ocorre a liberação de uma
larva infectante. Quando um indivíduo sem calçado passa pelo local, ocorre a penetração ativa
da larva pela pele. O parasito atinge a corrente sanguínea, passa pelo coração, pulmões,
faringe, sendo deglutido e chega ao tubo digestivo onde se torna adulto.
Sintomas


Fase pulmonar:
- Tosse, catarro, pigarro, bronquite e pneumonia.
Fase intestinal:
- Náuseas, vômitos, cólicas intestinais, diarréias com sangue, anemia, pele
amarelada.
Profilaxia



Saneamento básico;
Evitar andar descalço;
Tratamento dos indivíduos doentes.
Filariose ou Elefantíase


Agente etiológico: Wuchereria bancrofti
Ciclo Heteroxeno:
- Hospedeiro definitivo: homem
- Hospedeiro intermediário: mosquito do gênero Culex.
Ciclo
A transmissão da doença ocorre por meio da picada da fêmea do mosquito Culex,
acarretando na entrada de filárias na corrente sanguínea. As larvas migram para o sistema
linfático tornando-se indivíduos adultos. Após a fecundação, ocorre a liberação de ovos já
embrionados que evoluem para microfilárias. Durante o dia as microfilárias permanecem no
sistema linfático, porém, durante a noite migram para a corrente sanguínea atingindo os vasos
superficiais. O mosquito ao promover repasto sanguíneo em uma pessoa contaminada “suga”
microfilárias, que no inseto se transforma em filária (forma infectante).
Sintomas



Inchaço (edemas) dos órgãos atingidos devido à retenção de líquidos;
“Patas de elefante”;
Aumento dos escrotos e mamas em casos extremos.
Profilaxia



Combate ao mosquito vetor;
Uso de telas nas portas e janelas em regiões endêmicas;
Uso de repelentes.
Oxiuríase ou Enterobiose
Agente etiológico: Enterobius vermicularis
Transmissão: ingestão ou inalação de ovos, autoinfestação.
Ciclo monoxeno sendo o homem hospedeiro definitivo (onde ocorre a reprodução
sexuada).
Ciclo
Após deglutição dos ovos, as formas adultas formam-se no intestino. Aí macho e fêmea
acasalam, guardando a fêmea os ovos fecundados. A fêmea então migra para a porção final do
intestino. De noite a fêmea sai do reto e passando pelo esfíncter, deposita os ovos na mucosa
anal, do lado externo do corpo, voltando depois para dentro. A mucosa anal e a pele são muito
sensíveis, acarretando prurido (coceira) intenso. As fêmeas põem mais de 10.000 ovos que são
lavados ou ficam agarrados à roupa interior, podendo ainda ser levados pelas fezes.
Sintomas
 Intenso prurido na região anal;
 Náuseas;
 Vômitos;
 Dores abdominais;
 Desconforto intestinal.
Profilaxia



A roupa de dormir e de cama usada pelo hospedeiro não deve ser “sacudida”
pela manhã, e sim enrolada e lavada em água fervente, diariamente;
Tratamento das pessoas parasitadas;
Limpeza doméstica com aspirador de pó.
Filo Anelida (minhocas, sanguessugas e nereis)
Características









Celomados (cavidade corporal totalmente revestida pela mesoderme);
Simetria bilateral;
Apresentam metamerização (segmentação homônoma);
Protostômios;
Enterozoários completos;
Respiração cutânea ou branquial;
Sistema circulatório fechado (sangue apresenta hemoglobina);
Sistema excretor formado por nefrídeos;
Sistema nervoso ganglionar.
Comparação em relação ao celoma
Classificação (baseada na quantidade e posição das cerdas)
Oligochaeta: minhocas;
Polichaeta: nereis;
Achaetas ou hirudíneos: sanguessuga.
Oligochaeta










Possuem fileiras longitudinais de cerdas na região ventral;
São hermafroditas (fecundação cruzada).
Apresentam um casulo formado por muco espessado de cor esbranquiçada
chamado de clitelo.
Tubo digestivo apresenta papo (armazenamento) e moela (trituração mecânica);
O intestino é constituído por uma invaginação chamada de tiflossole, envolvida
com o aumento da absorção de nutrientes.
Respiração cutânea;
A excreção ocorre por meio de nefrídeos (1 par por segmento);
Circulação fechada com um vaso longitudinal dorsal e dois vasos longitudinais
ventrais. Entre os vasos encontramos corações laterais;
Apresentam hemoglobina;
Sistema nervoso constituído por dois gânglios de onde partem dois cordões
nervosos ventrais.
Nefrídio
Polichaeta
Características



Apresentam muitas cerdas;
As cerdas formam expansões laterais chamadas de parapódios;
Respiração branquial.
Achaeta ou Hirudinea
Características (sanguessuga)






Ausência de cerdas;
Ectoparasitos hematófagos;
Liberam uma substância anticoagulante chamada hirudina (utilizada na medicina
como prevenção de necrose);
Hermafroditas;
Apresentam ventosas anterior e posterior;
O clitelo só é visível na época da reprodução.
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards