cap-15-europa-uma-visao-de

Propaganda
Europa: uma visão de conjunto
Aspectos gerais do continente europeu
No conjunto de terras chamado Velho Mundo, a Europa, do ponto de vista físico ou geológico, é apenas uma península da
Ásia. Do ponto de vista histórico-social, porém, a Europa é um continente, pois desenvolveu ao longo dos séculos uma cultura
que a diferencia da Ásia.
A Europa passou a desempenhar um papel fundamental em todo o espaço mundial desde o século XV, quando iniciou,a
partir de sua porção oeste (ou ocidental), sua expansão marítimo-comercial em direção ao oceano Atlântico e ao restante do
mundo. Por isso a Europa ocidental destacou-se de maneira particular no espaço geográfico mundial. Afinal, ela colonizou e
dominou política, econômica e culturalmente grande parte da superfície terrestre, o que explica a indiscutível hegemonia que
exerceu sobre essas áreas conquistadas, pelo menos até o início do século XX.
Atualmente, com pouco mais de 10 500 000 km² de extensão (incluindo a parte européia da Rússia),ela abriga uma
população de 728 389 milhões de habitantes.
Aspectos físicos. A Europa limita-se ao norte com o oceano Glacial Ártico e ao sul com o mar Mediterrâneo (que a separa
da África).A leste, liga-se à Ásia, considerando-se como limites entre os dois continentes os montes Urais, o mar Cáspio e o
rio Ural. Na parte oeste, é banhada pelo oceano Atlântico, que forma vários mares, golfos e canais: mar do Norte, mar Báltico,
mar da Noruega, canal da Mancha, golfo de Biscaia, etc.
Há grande variedade de paisagens naturais e grandes extensões de terras baixas no continente europeu: as planícies
germânico-polonesa, da Hungria, russo-sarmática e outras. Mas a Europa também apresenta altas cadeias de montanhas:
Alpes, Alpes escandinavos, Apeninos, Cárpatos, Pireneus, etc., além de alguns planaltos, como o Central russo e o do Volga.
Os principais rios, cujos vales normalmente formam planícies densamente povoadas, são Reno, Danúbio, Volga, Pó, Sena,
Elba, Loire, Douro, Tejo e outros.
A oeste da Europa, no Atlântico, estão a Islândia e as várias ilhas que formam o Reino Unido (da Grã-Bretanha e da
Irlanda, entre outras). Ao sul, no Mediterrâneo, encontram-se diversas ilhas, como Córsega, Sardenha, Sicília, Creta. As
principais penínsulas são: Escandinava, onde se localizam Noruega e Suécia; da Jutlândia, pertencente à Dinamarca;
Ibérica,onde se situam Portugal e Espanha; Itálica, na qual se destaca a Itália; e Balcânica, onde se localizam Grécia, Albânia
e partes de outros países.
Em geral predominam no continente europeu os climas temperados, mais frios no norte e na parte central (e logicamente
nas áreas de altitudes elevadas), mais quentes na parte sul ou meridional, mais úmidos na parte oeste (vizinha do mar) e mais
secos na parte leste ou continental. O clima frio polar ocorre apenas no norte, nas vizinhanças do oceano Glacial Ártico. E no
extremo sul, nas vizinhanças do mar Mediterrâneo, o clima é mediterrâneo, uma espécie de clima subtropical.
Como dividir ou regionalizar a Europa?
É comum dividir ou regionalizar a
Europa de acordo com a localização
de cada parte: Europa setentrional,
Europa meridional, Europa central,
Europa ocidental e Europa oriental ou
Leste europeu. Nessa divisão
geralmente se exclui a Rússia, pois
esse imenso país merece um estudo à
parte.
Essa divisão tradicional apresenta
muitos problemas. Por um lado,
privilegia a localização geográfica e as
características dos elementos naturais
dessa faixa (nos casos de Europa
setentrional, Europa central e Europa
meridional). Por outro, a inclusão do
Reino Unido na Europa ocidental
indica que os critérios adotados são
essencialmente históricos.
Como os elementos sociais e
históricos são mais significativos para a compreensão do espaço geográfico contemporâneo, convém estudar a Europa com
base na industrialização, que teve origem nesse continente. E uma regionalização com base na industrialização nos leva a
considerar as questões político-econômicas da sociedade.
Assim, estudaremos as profundas diferenças que dividem a Europa em duas partes: a dos países que apresentam uma
economia de mercado, ou seja, capitalistas e desenvolvidos (Europa ocidental); e a dos países que possuem ou possuíam,
até há poucos anos, uma economia planificada, ex-socialistas ou "economias de transição" (Europa oriental ou Leste
europeu).
Algumas diferenças entre as duas Europas
A Europa ocidental se destaca pelo elevado padrão de vida da população da maioria dos chamados países capitalistas e
desenvolvidos que a constituem. Seus habitantes, em geral, têm acesso a bens materiais que o atual desenvolvimento
tecnológico coloca no mercado e também a serviços como educação, saúde, artes, lazer, etc.
A população da Europa oriental apresenta um padrão de vida inferior ao dos europeus ocidentais, de modo geral. Contudo,
a maioria dos habitantes do Leste europeu também tem acesso à educação e à saúde, que sempre foram gratuitas e de boa
qualidade nesses países. Mesmo não havendo um nível de consumo elevado, essa população é atendida em suas
necessidades básicas: moradia, escola, alimentação, médicos, hospitais, etc.
Existem, porém, diferenças notáveis dentro de cada um desses dois grandes grupos europeus. Na Europa oriental, por
exemplo, a Albânia é um país que ainda se considera socialista e concentra suas principais atividades econômicas no setor
primário (agropecuária e extrativismo), enquanto a Polônia e a República Tcheca apresentam economias altamente
industrializadas. Na Europa ocidental, o padrão de vida dos povos da parte sul (Portugal, Grécia, parte da Espanha e sul da
Itália) está muito distante das condições extremamente favoráveis da população de nações como Bélgica, Países Baixos,
Reino Unido, Suécia, Alemanha ou França. Da mesma forma, há consideráveis diferenças regionais no interior de cada país.
A unificação da Europa: a União Européia
O antigo Mercado Comum Europeu (MCE), atual União Européia (UE), começou a ser constituído em 1957, com a
assinatura do Tratado de Roma por seis países: Alemanha Ocidental, França, Itália, Bélgica, Holanda e Luxemburgo. As
medidas tomadas pelo MCE tornaram realidade a livre circulação de pessoas e de mercadorias, com eliminação das taxas
alfandegárias ou impostos de importações entre os países membros. Com isso houve um sensível aumento no comércio
externo entre eles, com reflexos imediatos altamente favoráveis na economia de cada um desses países.
Mais tarde outras nações foram admitidas nesse bloco: Reino Unido, Irlanda e Dinamarca; Grécia; Espanha e Portugal;
Suécia, Áustria e Finlândia. Em 2004 mais dez países juntaram-se a eles: Chipre, República Tcheca, Estônia, Hungria,
Letônia, Lituânia, Malta, Polônia, Eslováquia e Eslovênia. Em 2007 Bulgária e Romênia passam a integrá-Io. A Suíça é um
Estado associado e a Turquia solicitou ingresso, mas não foi admitida.
ATIVIDADES
1. Cite os principais aspectos físicos do continente europeu.
2. Quais são os dois critérios mais utilizados para se regionalizar a Europa?
3. Cite as principais características que diferenciam a Europa ocidental da Europa oriental.
4. Dê exemplos de diferenças entre os países que compõem cada um desses dois grandes grupos europeus.
5. Explique o que é a União Européia e o que ela significa.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards