Características Gerais dos Animais

advertisement
Características Gerais dos
Animais
0 Reino Animalia ou Metazoa é formado por organismos pluricelulares; heterótrofos e
eucariontes. No entanto, entre eles alguns não formam órgãos e portanto não
apresentam sistemas sendo agrupados no sub-reino Parazoa, como é o caso dos
Poríferos. Os que formam órgãos e sistemas formam o sub-reino Eumetazoa que
compreende os Cnidários; Platelmintos, Nematelmintos; Moluscos; Anelídeos;
Artrópodos; Equinodermos e os Cordados.
Além da presença de tecidos existem vários outros critérios utilizados para a
classificação dos seres vivos por exemplo, o seu desenvolvimento embrionário, a
simetria e a divisão do corpo.
Folhetos Embrionários
Com o aumento do número de células, o embrião torna-se uma estrutura com duas
camadas de células, designadas folhetos embrionários – embrião didérmico. Estes
folhetos são a ectoderme (externa) e a endoderme (interna) e delimitam uma cavidade
interna – intestino primitivo ou arquêntero – que comunica com o exterior por uma
abertura – boca primitiva ou blastóporo. Os animais que apresentam este tipo de
embrião, cujo desenvolvimento termina aqui, designam-se diblásticos ou diploblásticos.
A grande maioria dos animais continua o seu desenvolvimento embrionário formando
um embrião tridérmico, constituído por três folhetos embrionários: ectoderme,
mesoderme e endoderme. Esses animais designam-se triploblásticos.
Um dos aspectos mais importantes na classificação dos animais é a existência ou não
de celoma.
O celoma é definido como uma cavidade que no embrião se encontra completamente
rodeada por mesoderme. Nesta cavidade irão, no adulto, ficar alojados os órgãos
viscerais.
Em alguns animais a única cavidade que se forma no embrião é o arquêntero, pelo que
são designados acelomados.
Quando se forma uma segunda cavidade, localizada entre a endoderme e a
mesoderme, esta cavidade passa a designar-se pseudoceloma e os animais que a
possuem pseudocelomados.
Na maioria dos animais forma-se, no entanto, um verdadeiro celoma, uma cavidade
totalmente delimitada pela mesoderme. Estes animais designam-se celomados.
Desenvolvimento Embrionário
Folhetos Embrionários
ECTODERME - epiderme e seus anexos
- encéfalo e medula espinhal
MESODERME - notocorda (posteriormente é substibuída por vértebras)
- epímero - dermátono – derme
- miótomo - musculatura estriada
- esclerótomo - esqueleto axial (coluna)
- mesômero - aparelho urogenital
- hipômero - sistema circulatório
- musculatura lisa
- peritônio e mesentérios
- esqueleto apendicular (membros)
ENDODERME - aparelho respiratório
- tubo digestivo e glândulas anexas
Metamerização – quando o corpo de um animal se encontra dividido em diversos
segmentos, ou metâmeros, ao longo do seu eixo antero-posterior, diz-se segmentado
ou metamerizado. A segmentação pode envolver os órgãos internos, que se encontram
repetidos ao longo do corpo, ou ser apenas externa, como no caso humano. Em outros
casos, vários segmentos ou metâmeros podem encontrar-se unidos, como nos insetos.
Na maioria dos animais mais complexos, a segmentação apenas existe em partes do
corpo (coluna vertebral dos mamíferos, por exemplo). A segmentação parece estar
relacionada com o aumento de tamanho do corpo, exigindo um mínimo de informação
genética.
Simetria dos animais é geralmente radiada ou bilateral, sendo a primeira característica
das formas mais simples, exceto no caso dos equinodermes adultos. A evolução para a
simetria bilateral, por adaptação à locomoção, foi acompanhada por uma encefalização,
com concentração de órgãos dos sentidos e de controle na região anterior do corpo.
Orientação corporal
Dorsal
Anterior
Posterior
Ventral
Download