Manipulação De
Plantas Medicinais e
Aromáticas!
1
MANIPULAÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS E AROMÁTICAS
INTRODUÇÃO
Desde a Antigüidade, nas mais diversas regiões do mundo, as plantas medicinais
são utilizadas para o tratamento de doenças.
Nos dias atuais, face aos inúmeros problemas que a humanidade vem enfrentando com os
medicamentos, observa-se uma procura maior pelos tratamentos naturais, especialmente
através das plantas medicinais.
Para que sejam eficazes, as plantas medicinais devem ser utilizadas corretamente,
pois, ao contrário do que se acredita, algumas espécies podem oferecer riscos à saúde.





Alguns cuidados são necessários para evitar problemas:
Utilizar plantas botanicamente identificadas
Não coletar plantas em beiras de estradas, lavouras e outros locais que ofereçam
risco de contaminação. Cultivá-las ou adquiri-las de locais de idoneidade
comprovada;
Usar somente a parte recomendada da planta, manipulando-a e utilizando para a
terapêutica indicada, pois algumas apresentam efeitos tóxicos, alucinógenos e
outros;
Evitar a mistura de plantas com efeitos diferentes, por exemplo: calmantes com
estimulantes, pois anulam ou potencializam o seu efeito medicinal;
As doses recomendadas são diferentes, variando de acordo com a faixa etária e
indicação terapêutica.
MEDIDAS PRÁTICAS CASEIRAS APROXIMADAS
Líquidos



1 Copo de vidro comum = 200 ml
1 Xícara de Chá (grande) = 150 ml
1 Xícara de Café (pequena) = 50 ml
Planta seca triturada

1 colher de sopa cheia

1 colher de sopa rasa


1 colher de chá cheia
1 colher de café cheia
=
=
=
=
=
=
=
=
04
03
10
02
01
05
02
01
a 05 g (folha)
g (flor)
g (casca ou raízes)
g (folha)
g (flor)
g (casca ou raízes)
a 03 g (folha)
g de fruto seco (ex: funcho)
2
FORMAS DE USO
1. Chá ou infusão:
 5 Gramas de planta seca (ou fresca).
 100 ml de água quente.
 Colocar água quente em cima da planta e tampar.
 Esperar de 05 à 10 minutos, coar. Depois de frio pode aquecer para tomar, só que
até 40°C., pois senão perde as substâncias ativas.
 Este processo é usado para plantas aromáticas (cheiro característico e princípios
voláteis), como: manjerona, sálvia, melissa, menta, camomila, capim-limão,
alecrim, losna, erva-cidreira, erva-doce. (no caso da semente ferver mais e
tampado)
 Os chás podem ser tomados:
 Quentes – para gripes, resfriados, bronquites e febre, podendo ser adoçados com
mel.
 Mornos – para insônia e como calmantes.
 Frios ou gelados – para os males do estômago ou diarréia.
 Preparar dose necessária só para um dia guardando protegido em
embalagem apropriada (de preferência vidro âmbar).
2. Decocto:
 É o cozimento de plantas com substâncias ativas fixas e que não se degrada com
ação do calor.
 É necessária a planta mais triturada para uma extração mais efetiva, pois quanto
menor as partículas da planta, maior é o contato da água para a extração.
 Quando inicia a fervura contar 15 minutos e ir colocando água para completar o
volume inicial. Não tampar neste processo.
 É usado o método para plantas que tenham substâncias não voláteis (fixas), como:
mentrasto, espinheira-santa, carqueja, pata-de-vaca.
3. Maceração: Colocar as plantas em contato com líquido, que pode ser água, vinho,
álcool de cereais, cachaça, vinagre ou óleo. Cada tipo de maceração tem um método
específico de preparo, os mais simples são garrafadas, vinhos e óleos medicinais.
Ex.:(50 gramas de planta para 1 litro de água) (5%).
 Neste método, a planta é colocada amassada ou picada, de molho em água fria
(que anteriormente pode Ter sido fervida).
 Flores, folhas e outras partes tenras ficam macerando por 10 a 12 horas.
 Partes mais dura como sementes, raízes e cascas ficam macerando por 18 a 24
horas depois coar e beber.
OBS. O recipiente deve ser colocado em lugar fresco, protegido da luz solar direta
e agitado periodicamente.
 As plantas que fermentam não podem ser preparadas desse modo.
3
4. Suco:
 Suco é indicado para folhas ou frutos frescos que devem ser triturados num
liquidificador ou processador. Para fazer o suco é preciso adicionar água. O suco
deve ser usado imediatamente após o preparo, pois perde suas propriedades
rapidamente.
5. Sumo:
 É feito triturando-se uma planta medicinal verde num pilão, liquidificador ou
centrífuga. O pilão é mais usado para as partes pouco suculentas. Se a planta tiver
pouco líquido, acrescenta-se um pouco de água. O sumo deve ser coado e usado
imediatamente.
6. Pó:
 A planta seca é triturada com as mãos ou processador até virar pó. Depois é
passada na peneira para separar pedaços maiores. O pó deve ser guardado em
frasco bem fechado, em local escuro.
 O pó das plantas medicinais pode ser misturado ao mel para uso interno ou pode
ser preparado como infusão ou decocção.
 Externamente, o pó é espalhado diretamente sobre o local ferido ou é misturado
em óleo, vaselina ou água, antes de aplicar.
7. Tisana:
 É a mistura de várias plantas (secas e transformadas em pó), com o mesmo efeito
medicinal, preparada na forma de infuso ou decocto. As plantas agem em
sinergismo, uma auxiliando o efeito da outra.
8. Saladas:
 Plantas medicinais podem ser usadas na forma de saladas cruas, como: agrião,
dente-de-leão, serralha, capuchinha, hortelã tanchagem, rúcula, manjericão. Usa
os brotos e folhas novas. A salada tem a vantagem de unir o valor alimentar ao
valor medicinal da planta.
9. Tinturas
 Tintura - é uma maneira simples de conservar princípios ativos de plantas
medicinais por um longo período. Como a maioria das substâncias ativas são
solúveis em álcool, a tintura é feita com álcool etílico absoluto, ou álcool neutro.
As tinturas podem ser feitas com plantas frescas ou secas, picadas ou trituradas.
 Exemplo:
 Para tinturas utiliza-se 200g de ervas (secas), moídas para 1 litro de álcool neutro
especial para medicamentos.
 Devemos observar os diversos tipos de ervas.
 OBS. Estas tinturas devem ser realizadas em recipientes que possam ser agitadas
todos os dias, devendo permanecer em ambiente escuro por no mínimo oito dias.
Após isso tudo o conteúdo deverá ser prensado, onde se extrai somente o líquido
que será filtrado e após envasado para consumo.
 Uso de tinturas: em gotas diluídas em água, cremes, pomadas, xaropes,
comprimidos etc.
 Validade aproximada de dois anos. (uso caseiro)
4
PARA USO EXTERNO

Cataplasma: preparar com plantas frescas, e lavadas, e trituradas até formar uma
pasta. Colocar entre dois panos finos e aplicar sobre o local a ser tratado. Não
utilizar sobre feridas abertas.

Unguento: aquecer vaselina juntamente com as plantas, misturando bem e
deixando em repouso por alguns minutos. Coar e guardar em recipiente fechado e
escuro. Usar quando estiver frio.

Compressa: preparar uma infusão ou decocção, e ainda quente embeber um pano
de algodão ou gaze e aplicar no local a ser tratado. Cobrir a compressa com outro
pano para manter o calor.

Banho: preparar uma infusão, decocção ou maceração para lavar a área a ser
tratada. O banho pode ser parcial ou de corpo inteiro. Observar a temperatura da
água de acordo com o tipo de banho.

Tintura: preparar um macerado com álcool e utilizar diretamente no local afetado
ou em massagens.Podendo ser utilizada também para uso interno, mas diluída em
água.

Usar sempre utensílios de vidro, ágata ou porcelana (louça) para
manipulação de plantas medicinais.
10. Cápsulas
 Equilibrador, regenerativo e antidepressivo)
Partes iguais de pó: Sálvia, Hipérico e Parietária.
 HORMONATIVO I
Partes iguais de pó: Alecrim, Amora e Alfafa.
 HORMONATIVO II
Partes iguais de pó: Amora, Bardana, Menta ou Hortelã,
Ou somente Amora e Bardana.
11. Spray para a garganta
Chá:
 1 punhado de casca de romã seca (20g)
 ½ litro de água
Ferver até sobrar mais ou menos uns 100 ml de chá, coa e mistura com:
Demais Ingredientes: pode ser umas 03 de qualquer uma dessas plantas



01 colher de chá de tintura de tanchagem ou
01 colher de chá de tintura de menta
01 colher de chá de tintura de sálvia
5
 01 colher de chá de tintura de eucalipto
 01 colher de chá de tintura de malva
 10 gotas de própolis ou de óleo de copaíba ou de óleo essencial de alecrim
OBS: Utiliza os ingredientes que se tiver a mão.
Envasar em vidros próprios para spray.
12. Xaropes
Calda: ½ litro de água pura para um kg de açúcar cristal aquece até 65° (controla-se
com o termômetro ou até a calda ficar meio transparente, mas não muito quente).
Preparo: misturar um litro de calda com 200 ml da tintura a ser utilizada como xarope.
Não é necessário conservar na geladeira.
13. Fortificante II
 01 Litro de Vinho Tinto
 15 pregos enferrujados
 02 Raízes grandes de Picão Preto
 03 colheres de sopa de raiz de guanxuma moída
 Cravo, canela, noz moscada e funcho verde.
 200 g de açúcar mascavo
Preparo: Ferve todos os ingredientes juntos, coa e toma um cálice por dia.
14. Creme de calêndula (uso externo)
 Usada para: assaduras de criança, virilha, bico de seio partido (quando amamenta).
Ingredientes:


100 gramas de creme de base neutro (consistente e branca)
05 ml de tintura de calêndula
Preparo:

Incorporar a tintura lentamente no creme para homogeneizar até terminar. Misturar
bem, envasar e tampar. (uso caseiro)
Duração: 06 meses
15. Repelente: (insetos) - uso externo
Ingredientes:


100 gramas de creme de base (branca)
15 ml tintura de citronela
Preparo: misturar bem, envasar e guardar bem tampado.

Pode-se usar também a tintura de Citronela em Spray para espantar insetos.
16. Óleo:
 Usado para machucaduras, reumatismos, massagens em geral, é preparado com a
planta aromática ou que tem princípios ativos que se dissolvem no óleo. Usar óleo
de boa qualidade, como: canola, oliva, milho, girassol.
6

Primeiro é preciso picar ou moer a erva, reduzindo seu tamanho para aumentar a
retirada de princípios ativos. Pode usar erva fresca ou seca. A proporção de erva
em relação ao óleo é de 10%, ou 100 gramas por litro de óleo.
Preparo:



Colocar a erva em vidro esterilizado e cobrir com óleo, tampar bem e macerar por
duas ou três semanas, diretamente sobre o sol, agitando diariamente.
Depois filtrar, separando uma possível camada de água que se formar. Guardar em
vidro escuro e de preferência em local escuro e seco.
Sugestão de plantas para preparar óleo medicinal: alfazema, alecrim, arnica,
calêndula, camomila, eucalipto, alho.
17. Óleo de Calêndula / Louro:
 20 g de erva moída de calêndula ou louro
 200 ml de óleo (de canola ou girassol)
Mistura-se bem e ferve por 20 minutos no banho-maria.
18. Óleo essencial
 30 ml de óleo carreador (óleo de amêndoa)
 10 gotas de óleo essencial.
19. Óleo essencial para Massagem
 500 ml de terebintina pura
ou 100 ml de terebintina
 15 g de lanolina
ou 03 gr. de lanolina
 15 g de cânfora
ou 03 gr. de cânfora
 10 ml de óleo de copaíba
ou 20 gt. De copaíba
 3 ml de óleo de andiroba ou alecrim ou 20 gt. De cada
 (Uso Externo)
Preparo: Mistura a lanolina com um pouco de terebintina para dissolver e acrescenta
os outros ingredientes aos poucos.
20. Óleo relaxante
 05 gotas de Óleo essencial de Alfazema
 05 gotas de Óleo essencial de lavanda
 10 ml de Óleo de amêndoa
21. Pomada cicatrizante
 03 Folhas de Confrei e 08 folhas de Tanchagem (lavadas e secas)
 1 Folha de Bardana (se tiver)
 1 xícara de óleo (comestível) / (+ ou – 250ml)
 25 g de cera de abelha ralada
Fritar as Folhas até ficarem crocantes, após retira-se o óleo sem as folhas e se possível
filtra-se em uma peneira de aço. Adiciona-se a cera de abelha com o óleo ainda quente.
Coloca-se em potes e pode-se adicionar óleo essencial de Alecrim.
É também chamada de pomada milagrosa, pois é muito boa.
7
22. Pomada anti-inflamatória.
Mistura partes iguais de:
 Banha de porco
 Sal Amoníaco
 Sal em Pedra
Aplica-se quente nos joelhos.
23. Bala de Guaco: (Garganta - Tosse)
Ingredientes:





50 ml de tintura de guaco
50 Gramas de manteiga
1 lata de leite condensado (pode ser açúcar)
1 xícara de açúcar mascavo
1 xícara de mel

Colocar numa panela a manteiga, o leite condensado, o açúcar e o mel e misturar,
levando ao fogo. Deixar ferver até dar ponto de bala. Retirar a panela do fogo,
batendo a massa para esfriar. Juntar a tintura de guaco à massa, misturando bem.
Despejar a bala em mesa untada. Retirar porções da massa, enrolando em tiras
compridas, para cortar no formato de bala. E Enrolá-las em papel celofane ou
manteiga.
OBS.: Nesta receita pode substituir o guaco por outras plantas, como: hortelã,
eucalipto, erva-doce, anis etc.

24. Cristais de Gengibre: - (tônico, expectorante)
Ingredientes:



100g de gengibre
01 limão (suco)
1/2colher (sopa) de sal-marinho
Preparo:




Descascar o Gengibre, cortar miúdo e colocar num vidro esterilizado. Acrescentar o
suco de limão e depois o sal. Deixa descansar por 24 horas e depois côa.
Este gengibre deve ser desidratado em sol forte por alguns dias, em bandeja
coberta com tule para evitar insetos que pousem sobre o gengibre. Evitar a poeira.
À noite recolher a bandeja para que não absorva a umidade.
Pode secar em estufa ou em sala com desumidificador. Usar diretamente na boca,
mastigando-os.
OBS.: Pessoas hipertensas não devem consumi-los, devido a quantidade de sal.
25. Vinhos:
Para preparar vinhos medicinais, pode usar vinhos brancos ou tintos e secos.
Usa-se 100 gramas de planta seca para cada litro de vinho. Pode usar só uma erva ou
mais que uma, mas mantendo-se a proporção.
8
Preparar o vinho em vidro esterilizado, colocando primeiro a erva e depois o vinho, até
cobrir completamente. Tampar bem e deixar macerando em local escuro, por 10 a 15 dias.
Agitar uma ou duas vezes por dia.
Depois, coar em filtro de papel ou pano. Guardar em vidro esterilizado de cor escura.
O tratamento com vinho é feito tomando-se uma colher de sopa antes ou depois das
refeições, ou conforme indicação específica.
Sugestões de plantas para fazer vinho medicinal;
 Camomila (vinho digestivo);
 Alecrim (vinho tônico);
 Vinho, tônico e depurativo - mistura de folhas de aveia, salsaparrilha, chapéu de
couro, cavalinha e caroba.
 Vinho para gripe, febre, dores musculares: malva, sálvia eucalipto.
Vinho




de alecrim
100 gramas de alecrim seco e triturado.
Deixar em maceração durante 10 dias com 1 litro de vinho branco seco, coar
Tomar 2 cálices por dia.
Para: Cansaço físico e mental, dismenorréia e menopausa.
26. Garrafada:
São amplamente difundidas no meio popular. É a combinação de plantas medicinais
com vinho branco, ou cachaça ou raramente a água. Pode acrescer de substância de
origem animal ou mineral.
Quando predomina plantas frescas é feita com aguardente; quando predominam
cascas, paus, raízes utiliza-se o vinho que possui menor teor alcoólico.
A dosagem das plantas é de uma medida de planta seca para dez medidas de
bebida alcoólica, ou então uma medida de planta fresca para cinco medidas de bebida
alcoólica.
É costume enterrar a garrafa por alguns dias (3 a 9) para que as plantas liberem
seus princípios ativos, antes de serem utilizadas.
Na maioria das vezes não se filtra a garrafada. Tomar dosagem recomendada.
27. Comprimido:
É a mistura de farinha de trigo torrada com o chá escolhido e preparado
corretamente.
Sugestão: Comprimido contra vermes
Ingredientes:





1
1
1
1
1
Punhado
Punhado
Punhado
Punhado
Punhado
de
de
de
de
de
erva Santa Maria
Hortelã
Semente de Mamão
Semente de Abóbora
alho
Preparo:


Bater tudo no liquidificador com um pouco de água (+ ou - meio copo).
Coar em peneira fina.
9



Fazer uma massa com trigo torrado e o suco peneirado, até desgrudar das mãos.
Tomar em jejum um (I) comprimido durante 7 dias
Parar 7 dias e tomar mais 7 dias
PRESCRIÇÃO EM FUNÇÃO DO HORÁRIO
A fim de obter-se a máxima eficácia terapêutica é útil administrar o medicamento
no momento mais oportuno do dia.
 Ao despertar: diurético, anti-hipertensivo, sedativo, antiinflamatório, tônico geral,
depurativo.
 Antes das refeições: antiácido, colerético, remineralizante.
 Depois das refeições: digestivo, antiflatulento, antiespasmódico, analgésico,
gástrico, colagogo.
 Antes de deitar: laxativo, anti-hipertensivo, sedativo, regulador do ciclo menstrual,
medicamento sobre atividade sobre o coração e a circulação em geral.
 Longe das refeições: antisséptico, antirreumáticos, tônico geral e depurativo.

Lista de Nomes comuns e científicos de algumas plantas medicinais:
NomeNome científico
Alguns Benefícios e Propriedades
Açoita Cavalo - Luehea divaricata
Depurativo, anti tumoral
Alcachofra- Cynara cardunculus
Trata doenças hepáticas, biliares, e emagrece.
Alecrim- Rosmarinus officinalis
Digestivo, bom para o fígado e bom para pele,
Alfafa- Medicago sativa L
Rica em proteínas, vitaminas e combate halitose
Alfavaca- Ocimum basilicum
Contra enjoos, emagrecedora, anti-inflamatória.
Alfazema- Lavandula officinalis
Aromática, calmante e antiespasmódica.
Alho- Allium sativum
Anti- hipertensivo, germicida, anticancerígeno
Amora- Morus nigra L
Antioxidante, hipoglicemiante, anti-inflamatória.
Angico- Anadenanthera Colubrina
(Casca) antitumoral, anti-inflamatória,
Arruda- Ruta graveolens
Adstringente, analgésica, antiepiléptica,
Artemísia- Artemisia vulgaris L
Ajuda no ciclo menstrual e alivia as cólicas
Assa Peixe- Veronia polyanthes
Antibacteriana, vasodilatador, regula a pressão.
Babosa- Aloe vera L- Aloe arborescens Antineoplásica, antimicrobiana, imunomoduladora.
Barbatimão- Stryphnodendron barbatiman Cicatrizante , trata cistos, miomas, blenorragia
Bardana- Arctium lappa L
Depurativo, afecções gástrica, hepáticas, artrites.
Boldo do Chile- Peumus boldus Molina Estimula funções digestivas do fígado e Bílis
Calêndula- Calendula officinali
Antibacteriano, antifúngico, antisséptico, cicatrizante.
Camomila- Matricaria recutita
Sedativa, calmante, antialérgica, anti-inflamatória.
Capim Limão- Cymbopogon citratus
Calmante, analgésica e febrífuga.
Capim Rosário/Lágrima NS -Coix lacryma Antiasmático, diurético, anti-inflamatório.
Cardo Mariano - Silymbum marianum Hepato-protetor, antioxidante, antidepressivo,
Caroba- Jacaranda caroba /puberula
Cicatrizante, depurativo, diurético, laxante,
Carqueja- Baccharis trimera
Refluxo ácido, fígado, vesícula biliar, emagrecimento.
Cavalinha- Equisetum arvense
Recuperação dos ossos, trata reumatismo e gota.
Chá Bugre-Casearea sylvestris
Trata aftas, é depurativa, antitumoral e colesterol.
Confrei - Symphytum officinalis
Anti-inflamatório, antisséptico,
Cordão de Frade- Leonotis nepetaefolia Ácido úrico, aumenta glóbulos vermelhos.
Dente de leão -Taraxacum officinale
Desintoxica fígado e rins, trata infecções.
10
Erva cidreira-Lippia Alba
Fortificante cerebral, calmante, antiabortiva.
Erva de Bicho- Polygonum hidropiper Hemorroida
Erva Doce- Pimpinella anisum
Estrogênio, diminui acidez estomacal e gases.
Erva Santa Maria- Chenopodium ambrosioides -Hemorroidas, tuberculose, vermes, angina.
Erva-Macaé- Leunurus sibiricus
Para pele, halitose, feridas, reumatismo.
Espinheira Santa- Maytemus ilicifolia Digestiva cicatrizante de úlcera gástrica.
Eucalipto- Eucaliptus globulus
Problemas respiratórios, dores musculares etc.
Funcho - Foeniculum vulgare
Digestivo, inibidor de apetite, e para gargarejos.
Gervão- Verbena bonariensis
Úlceras, tumores, vitiligo, hepatite e rins.
Guaco- Mikania Glomerata
Tosses, febres, reumatismo e picadas de cobra.
Hipérico- Hypericum perforatum
Antidepressivo, trata artrite, ciática, paralisia
Hortelã- Mentha SP
Espasmo, gases, vermes.
Ipê Roxo- Tabebuia impetiginosa
Trata câncer, aumenta células vermelhas
Levante- Mentha viridica
Vermífugo, antiespasmódico, animador.
Losna- Artemísia Absinthium
Trata fígado, vesícula biliar, rins, anemias.
Macela- Achyrocline satureioides
Bactericida, carminativa, calmante, digestiva
Malva- Malva sylvestris
Anti-inflamatória, trato das mucosas,
Manjerona- Origanum majarona
Digestiva, antiespasmódica, anti-histerismo.
Melissa- Melissa officinalis L.
Calmante, antibiótica contra bactérias.
Menta- Mentha piperita
Antiparasitário e antivirótico, febres gripes.
Mil em rama- Achillea millefolium
Antiespasmódica, adstringente,
Parietária officinalis
Estimulante intelectual, diurética, panaceia.
Pata-de-Vaca- Bauhinia forficata
Antidiabético
Picão -preto - Bidens pilosa
Desintoxicação do fígado, artrite, infecções.
Poejo- Mentha pulegium
Digestivo, tônico estomacal, amebicida.
Quebra-pedra- Phyllantus niruri
Anti-hepatite, anti-hipertensora, diurética.
Salsaparrilha- Smilax salsaparrilha
Depurativo do sangue, d. venéreas.
Sálvia- Salvia officinalis
Anti-inflamatória, antioxidante, digestiva,
Sete Sangrias- Cuphea balsamona
Antissifilítica, depurativa do sangue, ácido úrico.
Tanchagem- Platago major
Anti-inflamatória, cicatrizante, antineoplásico.
Terramicina- Alternanthera brasiliana Anti-inflamatória, analgésica e antiviral.
Tília- Tília platyphyllos
Febrífuga, calmante e antiespasmódica.
Valeriana- Valeriana officinalis
Combate insônia, depressão leve, agitação.
OBSERVAÇÕES SOBRE O USO DE TINTURAS
Uso Interno: dose variável de acordo com a idade do paciente sendo diluída em
água.
Adultos
Crianças
Lactantes
Recém Nascidos
BIBLIOGRAFIA:
-
30 a 150 gotas ao dia
15 a 75 gotas ao dia
7 a 35 gotas ao dia
3 a 15 gotas ao dia
- Literatura consultada-
A Flora Nacional na Medicina Doméstica –Prof. Alfons Balbach 22ª Edição
11
-
A Farmácia da Natureza – Irmã Maria Zatta
Ervas e Plantas a Medicina do Simples – Pe. Ivacir João Franco
Plantas Medicinais – Irmão Cirilo
Tratado de Medicina Oculta – Samael Aun Weor
Apostilas da Emater – Manipulação de Plantas Medicinais.
ELABORAÇÃO: Arca do Campo
Resgate de antigos conhecimentos de cura.
FORNECEDORES :de materiais para manipulação em Curitiba - Pr
 Farmanil Quima – Produtos Químicos – Rua Basílio Itiberê – 1231 – Tel: 3077-8191
 Assel – Ervas – Casa de Especiarias – Mercado Municipal
 Perfumaria Vidraria – 3569-3234
 CEASA – Mudas – BR 116 no Pinheirinho – Barracão Mercado das Flores.
(endereços em Curitiba-Pr)
12
Download

MANIPULAÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS E AROMÁTICAS