Exercício
1. Desde 1835 cogitava-se antecipar a ascensão de D. Pedro II ao trono. A expectativa de um
imperador capaz de garantir segurança e estabilidade ao país era muito grande. Na imagem do
monarca, buscava-se unificar um país muito grande e disperso.
(Adaptado de Lilia Moritz Schwarcz. As barbas do imperador: D. Pedro II, um monarca nos
trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 64, 70, 91.)
No período regencial, a estabilidade e a unidade do país estavam ameaçadas porque,
a) a ausência de um governo central forte causara uma crise econômica, devido à queda das
exportações e à alta da inflação, o que favorecia a ocorrência de distúrbios sociais e o
aumento da criminalidade.
b) o desenvolvimento econômico ocorrido desde a transferência da corte portuguesa para o
Rio de Janeiro levou as elites provinciais a desejarem a emancipação em relação à
metrópole.
c) a ausência de um representante da legitimidade monárquica no trono permitia
questionamentos ao governo central, levando ao avanço do ideal republicano e à busca de
maior autonomia por parte das elites provinciais.
d) a expansão da economia cafeeira no sudeste levava as elites agrárias a desejarem uma
maior participação no poder político, levando à ruptura da ordem monárquica e à
instauração da república.
2. No Brasil, os anos que se seguiram à Independência foram marcados por crises políticas e
revoltas em várias províncias. A situação ganhou novos rumos com o Golpe da Maioridade,
que pode ser caracterizado como
a) o movimento que afastou D. Pedro I e deu início ao Período Regencial.
b) a luta entre monarquistas e republicanos, que marcou o Primeiro Reinado.
c) a manobra do Partido Liberal, que antecipou a coroação de D. Pedro II.
d) a reação conservadora, que restringia o poder das assembleias provinciais.
e) a ação de Feijó que, com apoio da Guarda Nacional, instituiu a Regência Una.
3. A maioridade do príncipe D. Pedro foi antecipada, em 1840, para que ele pudesse assumir o
trono brasileiro. Entre os objetivos do chamado Golpe da Maioridade, podemos citar o esforço
de
a) obter o apoio das oligarquias regionais, insatisfeitas com a centralização política ocorrida
durante o Período Regencial.
b) ampliar a autonomia das províncias e reduzir a interferência do poder central nas unidades
administrativas.
c) abolir o Ato Adicional de 1834 e aumentar os efeitos federalistas da Lei Interpretativa do
Ato, editada seis anos depois.
d) promover ampla reforma constitucional de caráter liberal e democrático no país, reagindo
ao centralismo da Constituição de 1824.
e) restabelecer a estabilidade política, comprometida durante o Período Regencial, e conter
revoltas de caráter regionalista.
4. Entre novembro de 1864 e março de 1870, o Brasil envolveu-se na mais longa e sangrenta
guerra da América do Sul. Sobre a Guerra do Paraguai, é correto afirmar que:
a) o Brasil lutava contra a escravidão que havia no território paraguaio.
b) o conflito não teve um elevado número de mortes devido ao acordo humanitário entre os
países.
c) significou a independência econômica do Brasil com relação à Inglaterra.
d) o Brasil aliou-se ao Uruguai e à Argentina contra o Paraguai.
e) o conflito derrotou o Presidente Rosas que tinha a pretensão imperialista de formar “O
grande Paraguai”.
5. Pode-se afirmar corretamente que a Guerra do Paraguai representou para o Brasil
a) a afirmação do exército brasileiro como um personagem importante junto à sociedade
brasileira.
b) a concretização da emancipação política dos escravos nascidos no Brasil.
c) o incentivo à adoção de um regime republicano constitucional no País.
d) a solução de uma profunda crise financeira pela qual passava o Brasil.
6. O Brasil possui atualmente uma economia forte e sólida. O país é um grande produtor e
exportador de mercadorias de diversos tipos, principalmente commodities minerais, agrícolas
e manufaturados.
As áreas de agricultura, indústria e serviços são bem desenvolvidas e encontram-se,
atualmente, em bom momento de expansão. Considerado um país emergente, o Brasil ocupa
o 7º lugar no ranking das maiores economias do mundo (dados de 2011). O Brasil possui uma
economia aberta e inserida no processo de globalização.
O Segundo Reinado e a fase da História do Brasil correspondente ao governo de D. Pedro II,
que teve início em 1840, com a mudança na constituição que declarou a maior idade de Pedro
de Alcântara, com 14 anos, tornando-o apto para assumir o governo. A administração de D.
Pedro II, que durante 49 anos esteve à frente do estado brasileiro, foi marcada por muitas
mudanças sociais, políticas e econômicas no Brasil. Quanto à economia do império nesse
período,
a) destaca-se o grande e definitivo crescimento da atividade industrial.
b) observa-se o Brasil em destaque na área da mineração de ouro e prata.
c) destaca-se a produção do açúcar, aproveitando os canaviais do Nordeste.
d) nota-se que o café tomou posição de liderança nas exportações, possibilitando acúmulo de
capital.
7. A partir da segunda metade do século XIX, o Brasil viu surgir gradativamente o declínio da
mão de obra escrava e a introdução da mão de obra livre do imigrante, que se dirigiu à lavoura
cafeeira.
Sobre a relação café – mão de obra, assinale a alternativa correta.
a) o café prosperou na Bahia, que já se destacava com o fumo e o cacau; a mão de obra
utilizada era a do imigrante espanhol que logo se adaptou ao calor e costumes baianos,
sendo assalariado.
b) a lavoura cafeeira se estendeu do norte do Paraná até o oeste de Santa Catarina, sendo os
alemães e poloneses trazidos da Europa para trabalharem como meeiros ou terceiros.
c) a lavoura cafeeira, por se adaptar melhor às áreas temperadas, encontrou na zona da Mata
(MG) e na província de São Paulo as condições ideais. Na região do Vale do Paraíba, a
produção ocorreu de maneira tradicional, sendo utilizada a mão de obra escrava.
Estendendo-se para o interior paulista, a mão de obra do imigrante italiano substituiu a
escrava, inicialmente através da parceria e, depois, através do sistema de colonato.
d) o café, produzido em latifúndios, se estendeu por todo o litoral brasileiro; a mão de obra
escrava era responsável pelo plantio e a imigrante, alemã e italiana, pela secagem e
descascagem, havendo harmonia no convívio entre os trabalhadores e os patrões.
e) o café se instalou desde o Pará até São Paulo. Foi o responsável pela chegada dos japoneses,
que tiveram muita dificuldade de adaptação (dada a diferença da língua e dos costumes),
logo superadas. São eles, os responsáveis pela instalação de sítios e chácaras no Brasil.
Download

Exercício multipla escolha